Bug Box

Qualidade e Testes de software

Integração da gestão de testes e defeitos: Redmine & Impasse

 

Este post tem o objetivo de demonstrar brevemente, como utilizar o Redmine para gestão de testes e defeitos integrado.

No entanto, pode ser questionado: “Mas o Testlink faz integração com vários tipos de bugtrackings…”, pois então, não se trata do mesmo tipo…

 

A integração que as ferramentas oferecem, geralmente é relacionar os defeitos (via algum tipo de link) para que possam ser acessados de maneira mais fácil, além de gerar relatórios gerenciais informando sobre a quantidade e\ou status dos mesmos.

Utilizando o Redmine, não só se tem estes links e relatórios, como também, através da própria ferramenta os defeitos são cadastrados e gerenciados.

Ao longo da minha experiencia profissional, sempre procurei sanar os problemas na utilização do Testlink com relação aos seguintes aspectos:

  • Projetos de curta duração, sem a necessidade da geração de documentação extensa e detalhada;
  • Utilização de várias ferramentas: Uma para gestão de testes, Outra para gestão de defeitos, outra para gestão de projetos, planilhas do excel para gerenciar, etc;
  • Demandas simples, mas com necessidade de um controle eficaz e igualmente simples.

A utilização dos demais softwares difundidos no mercado sempre foi de grande valia, no entanto, perdiam com o que parece ser uma vantagem: sua robustez. Os softwares tem inúmeros recursos, os quais em alguns casos, tornaram-se empecilhos para chegar a um resultado rápido.

 

1.       Conhecendo um pouco o Redmine

 

O Redmine trata-se de um software de código aberto e liberado sob os termos da GNU General Public License v2 (GPL). Desenvolvido usando o Ruby on Rails, ele é multi-plataforma e  suporta mais de um tipo de bancos de dados.

O seu objetivo principal é o gerenciamento de projetos, no entanto, este post trata individualmente do gerenciamento de defeitos e testes.

Ele contém calendários, graficos de Gantt, e uma gama diversificada de plugins, os quais são desenvolvidos pela comunidade e disponibilizados na página oficial da ferramenta.

Sendo ele multi-plataforma, existem formas diferenciadas de instalação e configuração. Neste post ele será configurado\instalado no Windows 7, utilizando o pacote Bitnami, que é uma “mão na roda” para que quer instalar sem mais complicações.

Abaixo, links para mais informações sobre download\instalação\configuração da ferramenta:

 

2.       Conhecendo um pouco o Impasse

 

O Impasse é um plugin para o Redmine, desenvolvido por Yoshitaka Kawashima, o qual tive o imenso prazer de realizar alguns contatos sobre esta ferramenta.

A sua utilização assemelha-se ao Testlink em alguns aspectos, contudo, apresenta uma enorme simplicidade na elaboração, execução e controle dos testes.

Ela possui os seguintes recursos:

  • Cadastros de suites e casos de teste;
  • Cadastro de planos de testes por versão;
  • Atribuição de casos de teste para testers;
  • Execução dos testes e reporte de defeitos;
  • Links de navegação  caso de teste-> defeito e vice-versa;
  • Relatórios gerenciais, como:
    • Percetual realizado dos testes;
    • Percentual de defeitos;
    • Defeitos abertos X Defeitos finalizados;
    • Progressão dos testes (previsto x realizados);
    • Testes executados por tester.

Abaixo, links para mais informações sobre download\instalação\configuração do plugin:

 

3.       Utilizando o Impasse
.
Após instalados o Redmine e o plugin Impasse, é hora de iniciar a sua utilização. Para isso, foram divididos em etapas:
  1. Configurar o tipo de tarefa, e campos personalizados para reportar os defeitos;
  2. Criação do projeto e configuração o plugin, para que reconheça o tipo de tarefa;
  3. Criação das suites\casos de teste;
  4. Criação do plano de testes;
  5. Atribuição dos casos de teste ao plano de teste;
  6. Atribuição dos testers que trabalharão no projeto, e quais casos de testes são responsáveis;
  7. Execução dos testes e reporte de defeitos;
  8. Monitoramento e controle, através dos relatórios.

Agora que sabemos os passos, mãos a obra!

  • Configurar o tipo de tarefa, e campos personalizados para reportar os defeitos
    • Para isso, foi criado um tipo de tarefa “Defeito”, e a ela associados campos personalizados, de acordo com a necessidade do projeto ou processo seguido pela empresa:

  • Criação do projeto e configuração o plugin, para que reconheça o tipo de tarefa padrão para reportar os defeitos

 

  •  Criação das suites\casos de teste;
    • Para criar uma nova suíte ou caso de teste, basta clicar como botão direito do mouse sobre a suíte desejada, em seguida escolher a opção, conforme a imagem a seguir:

  • Neste caso, foi criada uma nova suíte de testes:

  • Em seguida, criados os casos de teste:

  • Criação do plano de testes
    • Para isso, clicar no link “Novo plano de testes” e preencher as informações necessárias:

  • Atribuição dos casos de teste ao plano de teste
    • Para isso, basta arrastar e soltar as suítes\casos de testes que pertencem ao plano:

  • Atribuição dos testers que trabalharão no projeto, e quais casos de testes são responsáveis
    • Da mesma maneira em que foram atribuídas as suítes de testes para o plano de testes, será feita a atribuição dos testes para cada um dos integrantes da equipe de testes. No entanto, é necessário clicar no calendário, para indicar o dia em que está previsto para os testes serem executados:

    • Após todos os testes atribuídos, ficará assim:

  • Execução dos testes e reporte de defeitos
    • A tela de execução dos casos de testes é a seguinte:

    • Portanto, basta clicar no resultado do teste (Não executado, Passou, Com falha ou Bloqueado) e acionar o botão “Salvar”. A particularidade é quando selecionada a opção “Com falha”, pois quando isso ocorre, é aberta a tela para reportar o defeito encontrado, conforme a imagem a seguir:

    • Após a execução dos testes, temos o seguinte cenário:

    • Significado dos ícones: Executado com falha;Passou;Bloqueado; Não Executado.
    • No exemplo da imagem anterior, observa-se os links para os defeitos que foram relatados para o caso de testes em questão, ao clicar no link #1, é possível visualizar o defeito:

  • Monitoramento e controle, através dos relatórios
    • Finalmente, através das estatísticas, podemos acompanhar a progressão do projeto:

 

 

 

4.       Considerações finais

Como pode ser visto, a utilização do Redmine +  Impasse para controle de testes e defeitos pode ser uma ótima opção para quem necessita de um controle simples e eficaz, sem a necessidade de geração de documentações adicionais para o projeto.

Sua interface é agradável e de fácil entendimento. A dificuldade pode residir na utilização da ferramenta pela primeira vez, onde haverá a necessidade da configuração dos usuários, projetos, além do entendimento da mesma. Contudo, uma vez implantada, o ganho em tempo e eficácia no controle dos testes e defeitos pode ser rapidamente obtido.

 

COMMENTS

Não há comentários postados ainda. Seja o primeiro!

Deixe um comentário!


um × = 5