Bug Box

Qualidade e Testes de software

Teste de software baseado em Riscos (Risk-based Testing – RBT)

Apesar dos grandes benefícios proporcionados por uma estrutura de testes consolidada, o processo de testes tem um custo elevado. Da quantidade de testes possíveis de serem executados aliados às restrições de prazos e custos de um projeto, surge a necessidade de se buscar técnicas que possam reduzir tais custos, além de reduzir ao máximo os riscos de perdas para o negócio.

A técnica de testes baseada em riscos surgiu com a necessidade de amenizar os problemas relacionados ao esforço necessário para se testar um software, e tem como objetivo investir o menor esforço possível em testes, e fazendo com que tais testes tenham mais eficácia e eficiência.

O teste baseado em Riscos (Risk-based Testing – RBT) consiste em um conjunto de atividades que favorecem a identificação de fatores de riscos associados aos requisitos do produto de software. A análise e mitigação neste caso são voltadas aos fatores de riscos, o que faz com que a concentração dos esforços e recursos sejam direcionados às funcionalidades que apresentem maior risco de ocasionar prejuízos.

A abordagem de testes de software baseada em análise de riscos consiste em decidir a prioridade dos testes embasando-se nas funcionalidades que apresentam maior chance de ocasionar perdas ao negócio do cliente. As funcionalidades que podem gerar maiores perdas serão as mais testadas ou serão preteridas no caso da necessidade de não se testar algo no software.

De acordo com Cardoso (2008) teve seu surgimento em 1995, quando James Bach publicou o artigo The Challenge of Good Enough na revista American Programmer. Neste artigo, Bach (1995) propõe estratégias para amenizar os problemas relacionados ao custo do teste, restrições de prazos e a necessidade de se garantir a qualidade do produto final.

Três pontos cruciais devem ser observados para a consolidação do entendimento da abordagem de testes baseados em risco (risk-based testing) segundo Molinari (2008):

1 – Não é possível ou viável efetuar testes para todas as funcionalidades do sistema;
2 – Existem restrições de prazo dos projetos de desenvolvimento de software;
3 – Existe a necessidade de um grande conhecimento do testador com relação ao software que será testado.

Uma vez que os riscos são identificados e priorizados, conforme Cardoso (2008) os casos de testes são elaborados com base na estratégia de acompanhamento e tratamento dos mesmos.

A quantidade de testes a serem executados, conforme Bastos et al (2007) está diretamente ligada ao total de riscos envolvidos.

O objetivo da abordagem de testes baseadas, segundo Bach (1999) em análise de riscos é proporcionar ao profissional responsável por esta atividade informações que dêem suporte a tomadas de decisões a respeito de:

• Cobertura de teste;
• O número de testes a ser conduzido;
• Escolhas dos tipos de testes e de revisões;
• Uso e balanceamento entre testes, revisões e inspeções, dentre outros problemas;
• Priorização dos testes (planejamento e execução).

A complexidade de aplicação desta abordagem, também se torna um ponto importante que deve ser observado quando da escolha da mesma. Conforme Cardoso (2008) a análise de riscos não é algo trivial, e “o processo de análise dos riscos depende do nível de complexidade e do conhecimento do profissional de teste em relação ao sistema”. CARDOSO (2008,p.41).

Portanto, o teste de software baseado em riscos tem como objetivo auxiliar e prover possíveis soluções para atender à necessidade de concepção de produtos de software com cada vez mais qualidade, e em paralelo a redução de esforço, custo e melhor cálculo de estimativas.

 

REFERÊNCIAS

 

BACH, James. Heuristic Risk-Based Testing. In: Software Testing and Quality Engineering Magazine, Novembro/1999. Disponível em: <http://www.satisfice.com/articles/hrbt.pdf>. Acesso em: 21 de Agosto de 2011.

BASTOS, Anderson et al. Base de conhecimento em teste de software. 2ª Ed. Niterói. Martins Fontes, 2007. 263p.

CARDOSO, Fernando Schiavo. Teste de Software Baseado em Risco. 2008. 43p. Trabalho de Conclusão de Curso – TCC (Graduação Ciências da Computação) – Faculdade de Jaguariúna. Jaguariúna, 2008.

MOLINARI, Leonardo. Testes Funcionais de Software.1ª Ed. Santa Catarina. Visual Books, 2008. 214p.

 

COMMENTS

Não há comentários postados ainda. Seja o primeiro!

Deixe um comentário!


× 7 = vinte um