Bug Box

Qualidade e Testes de software

Custo dos defeitos de software

 

No processo de desenvolvimento, testar o software torna-se uma atividade cara, pois necessita de investimento em mão de obra qualificada e especializada, ferramentas e ambientes apropriados para a execução de tal atividade, além do tempo do projeto que deve ser destinado a elaboração, execução e avaliação dos resultados.

 

Contudo, além de ser avaliar os benefícios de se testar um software, é importante ponderar também os prejuízos causados por não realizar testes. Quanto mais tarde os defeitos forem detectados, maior será o custo da sua correção.  Portanto, defeitos encontrados na fase de produção de um software são muito mais caros de se corrigir do que aqueles que são identificados na fase de especificação.

Tal  afirmação pode ser ilustrada de forma clara através da Regra 10 de Myers:

FIGURA 1 – Regra 10 de Myers

Fonte: Bastos et al, 2007, p.19

A FIG. 1 ilustra a Regra 10 de Myers, onde o eixo vertical do gráfico representa o valor de cada defeito encontrado, e o eixo horizontal representa as fases de desenvolvimento de um projeto. À medida que vão se concluindo as fases do projeto, o custo dos defeitos é multiplicado por 10. Com isso, o defeito que na fase de desenho custava R$ 1,00, na fase de especificação custará R$ 10,00, na fase de construção custará R$ 100,00, nos testes R$ 1.000,00 e em produção, onde o custo é maior, ele será de R$ 10.000,00.

REFERÊNCIA

BASTOS, Anderson et al. Base de conhecimento em teste de software. 2ª Ed. Niterói. Martins Fontes, 2007. 263p.

COMMENTS

Não há comentários postados ainda. Seja o primeiro!

Deixe um comentário!


× cinco = 40